llámanos en el horario adecuado al número de teléfono exacto

haz click para mandarnos un e-mail
contactar

Se facilitas-nos a tua direção de e-mail (mandando-nos um e-mail a puenting@puenting.net, por exemplo) e fazendo-nos saber de onde és e daí te interessa fazer, manter-te-emos informado das nossas novidades, ofertas e atuações. Não tens mais que fazer clique onde põe "contactar" ou nos chamar por telefone: horarios de atençao telefónica.


TARIFAS

HISTÓRIA

El puénting es un salto pendular que se hace con cuerdas de escalada desde un puente. Si se hace de otra manera es otra actividad, no puénting.

PRÓXIMAS ATUAÇOES
CURIOSIDADES

PUENTINGPÓNTINGPUENTING

O PÉNDULO DE KIENE

salto pendular desde ponte com cordas de escalada

Serias capaz de deixar-te cair desde uma ponte?
Embora pareça mentira, pular connosco, por exemplo um salto da modalidade de ponting, será uma das atividades mais seguras que podes fazer ao longo do dia. Mais seguro que te ficar em casa. Mas é muito muito emocionante. E passase medo.
Correm lendas urbanas que falam sobre a peligrosidad do ponting. "Ponting" é uma das palavras que mais cheia a boca quando queremos pôr o exemplo de uma atividade perigosa. Mas nada mais longe da realidade. Se fazem-se as coisas bem (seguindo umas adequadas rotinas de instalação, informação à clientela, comprovação e proceder) um salto é mais seguro que fumar durante um minuto, circular em carro um minuto ou, inclusive, viajar em avião um minuto. Embora a sensação não seja essa.
Já foram milhares de pessoas as que se fiaram do nosso profissionalismo, pularam desde ponte baixa nossa tutela e todas saíram vivinhas e coleando, mais ainda, praticamente todas, plenamente satisfeitas, eufóricas. Não mentiremos (não é a nossa política), até agora 2 pessoas (a mais de 13.000) se arrependeram após ter feito puénting connosco, não porque saísse algo mau, senão porque a experiência lhes resultou demasiado forte.

A partir de 1998, por iniciativa própria, começamos a duplicar absolutamente todos os pontos de instalação e procedimentos de segurança (fomos pioneiros e, achamos, que somos ainda dos poucos no duplicar absolutamente todo). Podemos demonstrar que é mais seguro estar durante um minuto pulando e pendurando das nossas cordas que circulando em um carro, em uma bicicleta ou, sobretudo, em uma moto. E, por suposto, que fumando um cigarro durante um minuto.

Sabendo isso atrever-te-ias?

O pónting, é um salto pendular desde ponte que se faz empregando sensatas de escalada. Não o confundas com o góming (bungee jumping). Este se faz com borrachas elásticas bastante mais gordas que as cordas de escalada, desde ponte, outro tipo de plataforma fixa, helicóptero, aerostato ou desde guindaste, a queda é quase vertical e o material se estica a valores de até o 500%. Enquanto, em puénting, as cordas esticam-se entre um 3% e 5% nada mais (e em caidas de fator 2 em escalada chegam até um 40%). São completamente diferentes, tanto as técnicas como as experiênciass.

Si el góming realiza-se desde o ponto oposto da ponte (como o pónting) tem outro nome:

E se o pónting faz-se sem ponte, empregando uma ou duas estruturas independentes de outro tipo (grua, aerostatos, plataformas de salto...) chama-se salto pendular ou, simplesmente péndulo.

No caso de que este salto pendular seja desde um ponto superior em altura se chama supersalto.

Na contramão do que muita gente opina, pular desde uma ponte não é, em absoluto, uma ação suicida. Mais ainda, responde a uma necessidade das pessoas: a de superar ou alargar os nossos limites.

Os seres humanos, graças à superior capacidade de abstração que nos confere o nosso cérebro (segundo se desenvolve com a idade), podemos imaginar superar os nossos estreitos limites físicos, e o conseguir. Desde que somos humanos, alargámos incrivelmente os nossos limites: alcançámos mais força que qualquer outro animal, mais velocidade, mais profundidade, distâncias infinitas, edificaciones enormes... embora seja servindo-nos de úteis que no-lo possibilitam. Mas, a nível instintivo, as nossas limitações estão aí: assusta-nos a altura, e pular desde uma ponte (inclusive atad@s a duas cordas) dá-nos pavor.
9

O pónting é uma experiência educativa. Por uma parte, o instinto paralisa-nos, impede-nos pular. Mas, por outra, o nosso raciocínio nos lembra que é uma atividade segura, gozosa, que a fez muita gente (pode que inclusive ante os nossos olhos) e que saiu feliz, eufórica.

Na nossa vida teremos que atuar muitas vezes contra as nossas apetencias, contra os nossos medos, no-los engolindo, os superando. É uma das características da maturidade: ser capaz de enfrentar momentos desagradables com o fim de obter um objetivo desejável. Podemos tomar o pónting (ou qualquer destas impressionantes modalidades de salto) como um treinamento nesse campo. Inclusive como um rito de iniciação. Muita gente que vem a pular com nosotr@s (consciente ou incosncientemente) o faz.

Fazer frente a esse medo e superá-lo, por contra, faz-nos/fá-nos gozar, enormemente, e por isso mesmo o fazemos: para alargar os nossos limites. Quiçá tenha que ver com os ritos de iniciação ou de trânsito que muitas culturas celebram.

E verás a seriedade, o profissionalismo dos nossos monitores, valorizá-la-ás, fiar-te-ás.

De quem vêm a pular com o nosso modelo, quase todo mundo o consegue. Inclusive gente que vem sem intenção de saltar, vendo a nossa forma de proceder, se anima, se fia. Com nosotr@s, só uma da cada 202 pessoas se fenda, dos mais de 40.000 saltos que levamos organizados (em diferentes modalidades), só 199 pessoas se nos têm retraído. Menos de 0,5% Alguém mais te pode oferecer semelhante estatística, tanta confiança?

Não é mais que confiar, isso sim, embora por dentro se te revolverán todos os demónios: a cara pálida, palpitaciones no ventre, o coração a galope, os cabelos de ponta, não serás capaz de dizer quanto somam 2+2, os teus membros obedecer-te-ão com dificuldade... Todo isso se deve a Santa Adrenalina, que, embora pareça mentira, desta maneira, protege-te.

Não te preocupes de que se te pare o coração: não se conhece um só caso de enfarte no mundo (entre as pessoas que pulam). Santa Adrenalina protege-nos e Santa Sensata salva-nos. Rezemos-lhes.

A adrenalina tem efeitos milagrosos ante o stress, a depressão e as contracturas musculares.

A um lado da ponte coloca-se quem vai pular, com um arnés (dois ou três no nosso caso) no que terminam (normalmente) duas cordas. Ao outro lado atam-se os outros extremos, se tensan, bloqueiam-se, e faz-se o salto, o péndulo.

Move-nos a atração gravitatoria da Mãe Terra, a gravidade, e aceleramos 10m/s a cada segundo, descendo 25m em 2,25s e passando de 0 a 70Km/h!
O corpo vibra, o coração cola saltos, a respiração acelera-se, a pressão sanguínea escala, o sangue abandona a pele, a cor a tua cara. Já não há sangue nas tuas veias, tudo é adrenalina... Três!...dois!...um!...Pula!
A respiração pára-se. Interrompe-se o fornecimento de voz (salvo no caso de uma minoria que se converte cantora de ópera).
Não é mais que um momento (um, dois ou três segundos, depende da queda) que quiçá se te faça eterno. A corda, tirante até faz pouco, contrai-se, as tuas vísceras sobem para a tua garganta (e outros órgãos também no caso dos garotos), temos a pele de ponta, arames em vez de cabelos...
E, de repente, as cordas voltam a esticar-se, recolhem-te, te acunan, salvam-te do chão e levam-te para o céu (nisso também influem as endorfinas), Felicidade! L@s anjos têm a tua mesma cara, voam como tu, esbanjam os mesmos sentimentos. Plenitude!

Pularás uma e outra vez, de cabeça, de pé (para atrás), sujeito dos pés, do peito, desde em cima do corrimão, sol@, acompanhem@, com os olhos vendados, falando por telefone, com uma videocámara nas mãos ou na perna.

Pôr-te-emos um arnés integral desenhado especialmente para saltos e que te agarra todo o tronco. Também, ao menos, um arnés de tornozelo (dois se pulas de cabeça).

A cada um destes completos e adequados arneses sujeitar-te-ia à perfeição, sem moléstias. Mesmo assim, duplicaremos (ou triplicaremos) também esta precaução, a cada arnés irá ligado por dois mosquetões às duas cordas, asseguradas, à sua vez, a dois corrimões, com duplo bloqueio, e comprovaremos toda a instalação, ao menos, duas vezes antes da cada salto. Segurança total!

Zubisaltoa11.JPG (21037 bytes)

Esquecer-te-ás da osteoporosis, da vertigem, dos males do coração e da alma. Entrarás na elite da nossa selecta clientela. Vais a rayar o DVD do teu salto a base de vê-lo e ensiná-lo... Não te preocupes, guardamos a tua foto, também o original do vídeo do teu salto. Fá-te-emos uma nova cópia do DVD por 5? (preços orientativos e sujeitos a oscilações).

Maxarria, El Rosico, Lugo, Madariagape, Río Cofio, Cruzul... Que preferes? 15, 24, 39, 50, 144 metros?
Zubisaltoa02.JPG (32337 bytes)

Te ofrecemos la mayor variedad de saltos del mundo, en lo que a modalidades se refiere y en alturas también, desde saltos de 10m como el de Maxarria, a monstruosidades de 147m en Cruseilles (Francia)*, pasando por 32m en El Rosico*, 38m en Lugo, 40 en el Río Cofio* (cerca de El Escorial, Madrid) ó 50m en Madariagape* (Guipúzcoa, Euskadi, País Vasco). Y, poco a poco, vamos ampliando la lista. Puedes ver la lista completa en puentes.

Los saltos en puentes marcados con arterisco (*) no son saltos de puénting tradicional, sino un invento nuestro llamado:

¿Pagarías 10, 12, 15, 19€ por cada uno de estos saltos?

Nuestros precios son inmejorables. ¡Llámanos, infórmate y reserva tu plaza!

TARIFAS

lurretik neskarena.gif (74557 bytes) Tolosakoa.gif (25902 bytes) Tolosan albotik.gif (47110 bytes)

Haz doble clikc sobre el triángulo blanco si deseas ver el siguiente viodeoclip:


horarios en que nos puedes llamar

www.bungee-dance.ne